domingo, 16 de fevereiro de 2014

Esaú e Jacó - O valor do perdão

“[...] reconcilia-te primeiro com teu irmão e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt. 5:24).



Texto base Gn 25:19-34; 27:1-46; 33 - Hora da História Parte 1





Esaú e Jacó eram os filhos de Isaac e Rebeca. 
Seus pais oraram muito para que eles pudessem nascer. Rebeca, assim como Sara, 
era estéril. Mas, Isaac era temente a Deus e acreditava em seu poder de reverter 
aquela situação e não se cansou de orar e Deus o abençoou.

Já no ventre de Rebeca os gêmeos travavam uma grande luta. Certa vez, já incomodada
 com aquela situação, Rebeca perguntou o porque daquilo, ao que Deus lhe respondeu 
que era porque dentro dela havia duas nações. E assim, nascem os dois meninos. 
Esaú nasceu primeiro e Jacó veio em seguida segurando a canela de seu irmão.
Conforme o costume da época, a primogenitura ficava para o filho mais velho e assim, 
Esaú era o herdeiro. Os dois irmãos eram muito diferentes, tanto na aparência quanto nos 
interesses. Esaú gostava de caçar e nutria a afeição do seu pai. 
Já Jacó era mais caseiro e tinha o amor de sua mãe.
Certo dia, ao retornar de uma caça, Esaú estava exausto e faminto e Jacó havia preparado
 uma deliciosa sopa de lentilhas. Então Esaú, em tom de brincadeira disse que faria qualquer
 coisa por aquele prato de sopa. Jacó não vacilou e  o fez negociar a sua primogenitura. 
Nesse momento ele já demonstra o seu interesse nas bênçãos que seriam do seu irmão por 
direito.
Algum tempo  depois, quando o pai Jacó já estava velho e cego, anunciou que iria abençoar
 Esaú. Pediu que este lhe trouxesse uma caça e que preparasse uma bela refeição e depois 
o abençoaria. Ouvindo isso, Rebeca que compartilhava com Jacó o mesmo ideal de que as 
bênçãos fossem dadas a seu filho mais moço, antecipou-se e maquinou com Jacó um jeito de 
enganar seu esposo. Correu a preparar-lhe uma  saborosa refeição e instruiu Jacó a passar-se
 pelo irmão. E assim, aconteceu conforme haviam planejado.
Quando retornou e ficou sabendo o  que havia sucedido, Esaú quis matar o irmão. 
Temendo pela vida do filho, Rebeca o mandou a casa de seu irmão, Labão, que morava 
em Harã. Jacó seguiu o seu destino e, em meio a sua caminhada, veio-lhe o arrependimento,
 mas julgou que era tarde para retornar. Acreditava ser pouco provável que seu irmão
 o perdoasse naquele momento. Rasgou o coração para Deus e pediu-lhe que o ajudasse a
 achar um lugar para viver até que fosse o momento de retornar para sua casa.
Fonte:http://cursobiblicoinfantil.blogspot.com.br/2012/04/esau-e-jaco-o-valor-do-perdao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário